últimas notícias sobre o COVID-19

Vivendo a espiritualidade vicentina apesar da pandemia

por | abr 28, 2021 | Formação | 0 Comentários

À nossa volta, ouvimos gritos: “Será que vamos conseguir?” Onde estamos indo ? Que mundo depois que o Covid-19 desaparecer? Cristãos, podemos recordar o bom Papa João XXIII que falou dos “sinais” dos tempos. A pandemia nos obriga a perceber que nossa vida é frágil e que a vida segundo o Evangelho é amor e fraternidade.

Em meio a um período turbulento, é comum termos nos depararmos com a questão: “Devemos viver nossa vocação vicentina de maneira diferente porque estamos em tempos de reclusão, saúde, crise econômica e social?”

Para refletirmos a respeito, vamos lembrar das palavras do Papa Francisco, em 23 de outubro de 2015, durante a missa matinal, quando disse: “Os tempos mudam e nós, cristãos, temos que mudar continuamente. Nosso trabalho é olhar o que está acontecendo dentro de nós, discernir nossos sentimentos, nossos pensamentos; e o que está acontecendo fora de nós, e para discernir os sinais dos tempos. Com silêncio, reflexão e oração ”.

Claro, existem medidas de saúde. Porém, seguindo a Beata Irmã Rosalie, Frédéric Ozanam e seus primeiros companheiros começaram suas visitas aos pobres no bairro de Mouffetard, onde naquela época a tuberculose era comum!

Percebemos que o individualismo e o egoísmo têm crescido nos últimos anos e a pandemia pode promover isso por causa de “gestos de barreira” . Isso coincide com o belo apelo do Papa na encíclica Fratelli Tutti (Todos os Irmãos) . É a fraternidade que salvará o mundo. Rezemos todos os dias ao Espírito Santo para nos tornar mais fraternos. Ouçamos Frédéric Ozanam sobre este assunto: “Devemos deixar a Providência fazer o que quer, mas devemos ajudá-la. “

Essa mão amiga é nossa conversão pessoal. Mais do que nunca, nas nossas práticas, no nosso voluntariado, devemos mostrar humildade, simplicidade, mostrar-nos irmãos e não superiores a quem visitamos, mas ser plenos de paz e alegria.

Depois de meses e meses lendo e ouvindo declarações que provocam ansiedade, nossos amigos assistidos precisam encontrar um amigo que irradia paz e alegria!

São Vicente de Paulo insiste na oração: “Dê-me um homem de oração e ele será capaz de tudo. “ Para ele, a oração, a oração é “o centro da devoção, a alma, o tanque, o pão de cada dia ”. Quando oramos, é importante retomar a vida cotidiana. E a oração é o motor da ação. A pandemia é um “sinal dos tempos” e nós, vicentinos, somos convidados a dar testemunho de esperança. É isso que está faltando em nossa sociedade.

Sabemos que é pelo amor que seremos julgados e esse julgamento não é apenas para depois da morte. É agora que acolhemos ou recusamos acolher Cristo. O capítulo 25 do Evangelho de São Mateus foi comentado pela filósofa Simone Weil. Ela disse: “Eu estava com fome e você me resgatou … Quando é Senhor? Eles não sabiam disso. Você não precisa saber disso. Não devemos ajudar nosso próximo por Cristo, mas por meio de Cristo. Jesus está sempre onde menos o esperamos. Vamos apenas amar, sem fazer muitas perguntas. Deixe Cristo trabalhar em nós. E nossos gestos simples e livres se tornarão, sem que o saibamos, momentos de eternidade”.

Que deixemos Cristo agir em nós, “para a glória de Deus e a salvação do mundo” .

Jean-Claude Peteytas,
diácono vicentino.
Fonte: http://ssvpbrasil.org.br/

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

VinFlix

Doar para .famvin

Ajude-nos a continuar a trazer-lhe notícias e recursos na web.

Pin It on Pinterest

Share This