Durante a noite de 14 de março, o ciclone IDAI, um dos piores desastres naturais já registrados, atingiu as províncias de Sofala, Manica e Zambézia em Moçambique. Beira, a segunda maior cidade de Moçambique, ficou completamente inundada, e a vila de Dondo foi destruída.

O ciclone IDAI deixou um rastro de destruição e morte. Mais de 1.500.000 pessoas foram afetadas, e cerca de 510 se afogaram ou morreram por falta de medicamentos e alimentos. Esse número aumenta à medida que começa a faltar água. Vários dias após o ciclone, ainda havia aldeias inundadas recebendo ajuda e sendo evacuadas por meio de transporte aéreo.

Nós temos um Conselho com 5 Conferências em Beira, bem como uma casa pertencente às Filhas da Caridade, que por vários dias permaneceu sem eletricidade ou telefone. A maior parte da ajuda veio através do representante da Cruz Vermelha de Moçambique, que é coordenada pelo Instituto Nacional de Gerenciamento de Desastres (National Institute of Disaster Management).

O Hospital Central da Beira foi danificado e cerca de trinta centros de saúde estão quase que completamente destruídos. O retrato local é sombrio. A destruição das estradas está impedindo uma rápida distribuição de suprimentos, como medicamentos, alimentos e água potável.

As pessoas precisam de ajuda para reconstruir suas casas e também de itens básicos, como alimentos, medicamentos, mosquiteiros, kits sanitários e sementes para reiniciar o plantio dos cultivares.

Se você tem a intenção de ajudar a SSVP de Moçambique, entre em contato com a SSVP de seu país ou com Fundo Internacional da Solidariedade (FIS) da SSVP. Mais informações em site www.ssvpglobal.org.

Fonte: https://www.ssvpglobal.org/

Pin It on Pinterest

Share This