Crescer no compromisso missionário junto às juventudes

por | jan 20, 2023 | Formação | 0 Comentários

No meio da multidão, Jesus viu jovens sonhadores e desejosos de vida nova.

Cresce, cada vez mais, no interior de toda a Família Vicentina a consciência missionária de que, no seguimento de Jesus evangelizador dos pobres, precisamos escutar os apelos dos jovens, sobretudo os mais carentes e negados em sua esperança de vida digna, conhecê-los, amá-los, servi-los e despertá-los para o seguimento de Jesus.

No Brasil, segundo o Censo de 2010, os jovens compunham um quarto da população: 51,3 milhões de jovens, de 15 a 29 anos, sendo 84,8% vivendo nas cidades e 15,2% no campo. A pesquisa da Fundação Abrinq, de 2018, afirma que a pobreza atinge 17,3 milhões de crianças e jovens brasileiros; dos quais 5,8 milhões de jovens vivem em situação de extrema pobreza; em sua grande maioria, são vítimas da violência, negros e residentes em regiões periféricas das grandes cidades.

Este cenário não pode escapar ao olhar missionário vicentino. Uma realidade complexa, plural e cheia de luzes e sombras, daí a necessidade de falar “juventudes”, como forma mais consistente para caracterizar o que ocorre nesta fase. Os jovens têm suas feridas, incertezas e problemas próprios, também são diferentes, inovadores, criativos e podem ser uma presença viva e transformadora para o presente e futuro, se tiverem as condições dignas e apropriadas para desenvolver seu potencial, enfrentar seus desafios e para tomar suas decisões.

As juventudes são lugar teológico onde também irrompe a voz de Deus como fonte de anúncio e profecia para os sinais que apontam novos tempos. O Sínodo dos Bispos de 2018 afirma: “Precisamos criar espaços onde ressoe a voz dos jovens” (n. 35-38). “Exorto as comunidades a realizar com respeito e seriedade um exame de sua própria realidade juvenil mais próxima, para poder discernir os caminhos pastorais mais adequados” (n 103).

Somos chamados a trabalhar para que o carisma vicentino se faça mais presença atuante e servidora junto às juventudes, especialmente as que vivem em situações de pobreza e vulnerabilidade. Nas suas variadas formas de expressão, o carisma vicentino deve se atualizar e atingir os jovens, que devem ser portadores, protagonistas e continuadores do carisma deixado por São Vicente e também devem ser beneficiados pela caridade vicentina. O carisma vicentino nos impele a aprofundarmo-nos no encontro com as juventudes, de modo criativo e na abertura às exigências bem próprias desta missão:

  • Aproximar-nos dos jovens, conhecê-los em seu próprio universo e criar relações de proximidade, amizade e solidariedade. Este conhecimento requer abertura corajosa para abraçar, amar e servir as juventudes em espírito fraterno e colaborativo.
  • Deixar-nos tocar e transformar-nos pela novidade que os jovens trazem. Entre os jovens a vida emerge teimosa, cheia de feridas e potencialidades, cheia de vitalidade e esperança… Abrir-se às juventudes transforma as pessoas, tira a mesmice da vida, abre o discípulo missionário à ação do Espírito que faz novas todas as coisas.
  • Partilhar com as juventudes o carisma vicentino, que tem grande e atual potencial evangélico de atração junto aos jovens. As juventudes têm sonhos, são idealistas, carecem de ideais duradouros e consistentes. É fundamental partilhar mais o carisma com ações de divulgação e envolvimento vicentino, mas sobretudo com o testemunho de vida.
  • Agir decididamente em favor dos jovens e com os jovens. Impelidos pela caridade, pela força do carisma vicentino, as juventudes são um convite à promoção das mesmas em qualidade de vida e em dignidade, ao estilo de São Vicente, amando-as afetiva e efetivamente, agindo com elas, num cuidado que passe pelo material, pelo afetivo e pelo espiritual.

Estamos diante de um grande e fantástico desafio! Jesus, na proclamação do Reino, viu a multidão cansada e abatida, como ovelha sem pastor. Teve compaixão dela e apelou para a necessidade de novos trabalhadores e discípulos. No meio da multidão, Jesus viu adolescentes e jovens sedentos e carentes, sonhadores e desejosos de vida nova. São precisamente os jovens que podem ajudar-nos a manter sempre jovem o carisma vicentino, não deixando que ele fique esclerosado no passado, imóvel e sem o sal profético da caridade evangélica!

Pe. Eli Chaves, CM
Fonte: https://www.pbcm.org.br/

Tags:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

VinFlix

Doar para .famvin

Ajude-nos a continuar a trazer-lhe notícias e recursos na web.

Pin It on Pinterest

Share This