“Mas os pobres nunca serão esquecidos, nem se frustrará a esperança dos necessitados” (Salmo 9, 19)

A Esperança, como temos conhecimento, é uma das três virtudes teologais, e significa confiança, expectativa ou perspectiva que algo de bom aconteça; ao passo que a definição de ‘portador’ está associada à ação de alguém conduzir ou carregar alguma coisa. Mas existe um conceito desta palavra com o sentido simbólico de grande valor, ou seja, “enviado”, que expressa a designação para realizar determinada incumbência.

Assim, com tais explicações, podemos afirmar que os vicentinos são verdadeiros “Portadores da Esperança”, sobretudo para os Pobres, pois quem segue as aspirações de Frederico Ozanam foi e está nomeado, tendo a atribuição de “carregar” a Esperança aos empobrecidos, ou melhor, recebeu a importante tarefa de “conduzir” os mais necessitados na perspectiva de que algo de bom se concretize em suas vidas. Desse modo, os vicentinos foram – e continuam sendo – “enviados” pelo Senhor, sabendo da insubstituível missão de evangelizar os Pobres, isto é, de levar-Lhes a autêntica Esperança: a Palavra de Deus.

No entanto, conscientes da imensa responsabilidade, e ao mesmo tempo da gratificante dádiva concedida por Deus, que nos escolheu para servir aos Pobres, é o momento oportuno de agirmos, saindo ao encontro dos marginalizados, buscando inspiração nas lições de São Vicente de Paulo, que nos ensina: “É maravilhoso fazer conhecer a Deus, anunciar Jesus Cristo aos Pobres, dizer-Lhes que está próximo o Reino de Deus e que este Reino é para Eles”.

Dessa maneira, “Vamos aos Pobres!”, com a coragem dos discípulos, principalmente em 2018, quando a Igreja no Brasil instituiu o Ano Nacional do Laicato, trazendo o instigante tema: “Cristãos leigos e leigas sujeitos na ‘Igreja em saída’ a serviço do Reino”. E o lema: “Sal da terra e Luz do mundo” (Mt 5, 13-14).

Pois bem, motivações não nos faltam para promovermos espiritualmente as pessoas no estado de carência material, visto que gozamos do privilégio de possuir a Vocação Vicentina, que nos põe de frente com a realidade da miséria espiritual, causa da desesperança de muitos assistidos pela SSVP. Diante dessa situação e no contexto do Ano do Laicato, os vicentinos têm de assumir o papel de protagonistas da evangelização dos “pequenos de Deus”, colocando sabor em suas vidas e iluminando seus caminhos, porque os confrades e as consócias foram capacitados pelo Senhor para espalhar a Esperança, resgatando os valores dos Pobres, e certamente estimulados pela profecia de São Vicente de Paulo, que declarou: “Evangelizar é um ofício tão nobre, que é por excelência, o ofício do filho de Deus”.

Portanto, os vicentinos devem consumir suas vidas trabalhando nas iniciativas eficazes, que visam revelar as maravilhas de Deus aos que estão excluídos do conhecimento das “coisas do Senhor”. Por essa razão, é urgente e indispensável aos confrades e às consócias implementarem nas zonas de ações das suas Conferências: programas de Catequese (adultos, jovens, crianças e famílias), além, claro, de manter ou retomar as atividades mais comuns, como Terços, Leituras Bíblicas, Mutirões para a realização de Batismo, Primeira Comunhão, Crisma etc. Mas, se faltarem ideias, convém obedecer à recomendação de São Vicente de Paulo, que aconselhou: “A oração é o reservatório onde encontramos as orientações necessárias para desempenharmos os serviços que nos forem confiados”.

Que Nossa Senhora nos dê totais condições de acompanhar com fidelidade a doutrina de São Vicente de Paulo, que ofereceu a seguinte instrução: “Como são felizes os que empregam todos os momentos da sua vida no serviço de Deus”.

“Após a tempestade vem a bonança. E o bom Deus, que mortifica e vivifica, faz a alegria suceder à aflição e os efeitos de seu poder às esperanças que se fundamentam em sua bondade. A prosperidade dos maus termina em confusão e a adversidade dos justos se transforma em glória” (São Vicente de Paulo)

Confrade João Marcos Andrietta (58 anos) pertence à Conferência Nossa Senhora da Imaculada Conceição (Salto – SP) e é portador de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)
Fonte: http://www.ssvpbrasil.org.br/

Pin It on Pinterest

Share This