Sections

Sessenta vicentinos martirizados durante a Guerra Civil Espanhola são beatificados

No sábado passado, 60 membros da Família Vicentina que foram martirizados durante a Guerra Civil Espanhola fora beatificados em uma Missa em Madrid. Uma celebração de esperança, fé e perdão.

Photo credit: David Ramos CNA

“A graça experimentada por esses mártires é impossível de entender sem fé”, disse a irmã Angeles Infante, uma Filha da Caridade que é a postuladora da causa de beatificação. Ela elogiou a fé dos mártires ao carisma vicentino, dando suas vidas, o maior tesouro que eles tinham, por Cristo”.

A Missa de beatificação, em 11 de novembro no Palácio Vistalegre, foi uma celebração de esperança porque “esses mártires acreditaram nas beatitudes e seus martírios aumentaram ainda mais elas”.

“Não é uma morte violente que faz de você um mártir, mas a causa pela qual você morre, que é Cristo. Eles deram suas vidas por Deus, incorporando a fé por meio de seus testemunhos, perdoando e pedindo suas famílias para perdoar”, disse a postuladora.

O cardeal Carlos Osoro, de Madrid, que celebrou a Missa, disse que “esses 60 mártires deram suas vidas por amor. Eles morreram amando e perdoando, demonstrando uma sabedoria que vem do alto, não tomando um lado no conflito ou se envolvendo nas confusões civis, mas tendo uma sabedoria que veio de Jesus Cristo”.

“Armas do ser humano não são ódio ou rancor, mas aquelas de Jesus Cristo: o amor que gera vida e não morte”.

Os beatificados são 40 padres e irmãos da Congregação da Missão, duas Filhas da Caridade, 5 padres diocesanos que trabalharam com as Filhas da Caridade e a Juventude Mariana Vicentina e 13 membros da Juventude Mariana Vicentina. Eles foram mortos em 1936 e 1937 por forças republicanas.

Milhares de padres e religiosos, acompanhados de leigos, foram martirizados durante a Guerra Civil Espanhola. Mais de 1,8 mil já foram beatificados, e vários foram canonizados.

A Missa de beatificação foi precedida pela celebração de vésperas solenes, com a Família Vicentina.

 


Originalmente publicado pela ACI Prensa. Foi traduzido e adaptado pelo .famvin

No comments yet.

Deixe uma resposta