Reproduzimos abaixo completo relato sobre a audiência com o Papa Francisco durante o Simpósio da Família Vicentina sobre os 400 anos do Carisma de São Vicente de Paulo, ocorrida em 14 de outubro em Roma. O texto foi originalmente publicado no site brasileiro da Juventude Mariana Vicentina (www.jmvbrasil.org). Confira:

O relógio apontava 07h30 da manhã (02h30 horário de Brasília) quando os mais de 11 mil Vicentinos – em sua maioria jovens de diferentes ramos da Família Vicentina – que se encontravam no Vaticano, começaram a chegar na Praça São Pedro, para a audiência com o Papa Francisco, parte integrante da programação do Simpósio Vicentino em festividade aos 400 anos do Carisma. A prioridade era ficar próximo ao corredor central, onde o Sumo Pontífice passaria no papamóvel, e conseguir ao mínimo um olhar de caridade do sucessor de Pedro. Às 8h em ponto, os portões foram abertos, e de forma organizada, os peregrinos foram se acomodando nas cadeiras distribuídas no pátio central e também se agrupando nas grades de proteção que separava os fiéis do corredor por onde passaria Francisco.

As primeiras atividades do dia foram marcadas pela animação. O grupo artístico Gen Verde, de renome internacional, ficou encarregado em dar as boas vindas aos vicentinos que aos poucos começavam a lotar a Praça São Pedro.

  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Print or Email

O grupo artístico Gen Verde, reúne em suas apresentações culturais: música, dança e intervenções teatrais

Após a apresentação do grupo italiano, os apresentadores do Simpósio, chamaram ao palco central, a jovem Aida Baladi, presidente nacional da JMV Síria. Aida, partilhou com os demais, a experiência de conduzir uma associação da Igreja Católica num país tomado por uma guerra civil. Ela encerrou o seu testemunho fazendo um agradecimento ao Papa Francisco: “Me sinto muito abençoada e agradecida pelo Papa Francisco sempre orar pela paz em nossa amada Síria”, encerrou Aida. Confira abaixo o vídeo do testemunho.

  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Print or Email

Aida Baladi é presidente da JMV Síria, e deu o seu testemunho para mais de 11 mil vicentinos presentes no Vaticano

A relíquia do coração de São Vicente de Paulo foi introduzida ao palco, por seis membros de variados ramos da Família Vicentina. Ao som de “Corazón de Vicent de Paul” e de reflexões em diferentes idiomas, a relíquia foi muito aplaudida e venerada em um forte momento de emoção. Catarina Érika, vice presidente da JMV Brasil, e que participou do Simpósio, falou um pouco do que sentiu ao ter presenciado este acontecimento, “Quando a relíquia do coração de Vicente de Paulo entrou tocando a música ‘corazón de Vicent de Paul’ não me contive”.

Outro que também expressou a magnitude do momento, foi o voluntário de língua portuguesa no Secretariado Internacional da JMV, o Brasileiro André Peixoto, “estar em frente a relíquia do coração de São Vicente de Paulo, foi um dos momentos mais emocionantes pra mim, durante o Simpósio. Foi um momento muito especial, senti uma coisa diferente, não sei explicar, mas foi um momento muito bonito”, finalizou André.

Mark Mcgreevy, diretor executivo da DePaul International, explanou sobre a nova iniciativa da família vicentina em favor dos sem-teto. Foi exibido um vídeo instrutivo sobre a campanha, e ao final o tema do jubileu do carisma: “Era forasteiro, e me acolhestes”, com o apelo direto aos vicentinos “temos que fazer isso”.

Depois das palavras de Mark, o grupo Gen Verde voltou ao palco para mais uma rodada de músicas e danças. Dessa vez com direito a uma apresentação em português da música Uirapuru.

Membros da Sociedade São Vicente de Paulo partilharam sobre a sua triste experiência no terremoto que atingiu o centro da Itália. Sendo mostrado como a Família Vicentina trabalhou em conjunto para dar o auxílio necessário às pessoas que passaram por essa tragédia. Também foi feito o lançamento do Festival Cinematográfico Vicentino, uma das iniciativas da FAMVIN, assim como a campanha em prol dos sem-teto.

O Gen Verde que é formado por 20 mulheres, de seis países diferentes, e que trazem em seu repertório apresentações temáticas de distintas partes do mundo, ainda se apresentaram por duas vezes. E coube a elas recepcionar o Papa Francisco, que chegou na Praça São Pedro por volta das 11h45 (06h45 horário de Brasília) em seu papamóvel. Unidos em um mesmo sentimento, a Família Vicentina recepcionou o Santo Padre com muita alegria, entusiasmo e fé. Francisco percorreu toda a Praça São Pedro abençoando os milhares de peregrinos que vieram de mais de 90 países, e pertencentes a diferentes ramos da FAMVIN.

Recepcionado ao som de Accendi la Pace – música que fala sobre a busca pela Paz e que deixa claro que isso só depende de nós – o Papa Francisco caminhou até o altar e se colocou diante do coração de São Vicente de Paulo, onde rezou por algum tempo e por fim fez o sinal da cruz.

 

  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Print or Email

Papa Francisco diante da Relíquia do Coração de São Vicente de Paulo

Superior Geral da Congregação da Missão e sucessor de São Vicente, o Padre Tomaž Mavrič leu uma carta de saudação ao Papa Francisco. “Com grande alegria, gozo e admiração, a Família Vicentina se apresenta hoje, perante você, através dos que aqui estão presentes e de todos aqueles que nos seguem através dos diversos meios de comunicação social”, iniciou o Padre Tomaz.

Ele também abordou a questão do tema do Jubileu do Carisma “era forasteiro, e me acolhestes”, além de apresentar um panorama geral sobre a Família Vicentina e sua presença e importância pelo mundo. O Padre Tomaz reafirmou a papel do Papa como exemplo evangelizador e parafraseou a mensagem deixada por Francisco aos jovens, “Queremos fazer nossas as palavras que você dirigiu a Juventude Mundial, quando lhes convidava a ‘fazer barulho’. Queremos ‘fazer barulho pelos Pobres, em nome dos Pobres e com os Pobres”.

O superior geral finalizou a carta fazendo um pedido ao sumo pontífice e expressando tamanha felicidade dos mais de 11 mil Vicentinos presentes na Praça São Pedro, em Roma. ” Santo Padre, é uma graça inimaginável estar hoje com você. Damos graças a Jesus pelo dom de sua vida; por ser um presente para a Igreja e para o mundo; por ser um presente para os Pobres.  Assim como pedimos sua bênção, gostaríamos de pedir também que continue rezando por nós, como nós também sinceramente lhe prometemos, seguir rezando por você. Que a intercessão da Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, e todos os Santos e Beatos da Família Vicentina, nos ajudem a continuar a Missão; que não terminará, até que a “Caridade seja globalizada”; até que a Caridade alcance os rincões mais distantes da terra. Obrigado!”, declarou, o Padre Tomaž Mavrič em carta de saudação ao Santo Padre o Papa Francisco.

  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Print or Email

O Papa Francisco ouve com atenção a carta de saudação lida pelo Padre Tomaž Mavrič

Após cumprimentar e presentear o Padre Tomaz, Francisco iniciou a sua carta destinada a toda FAMVIN presente na Praça de São Pedro. De inicio, ele agradeceu ao caloroso acolhimento por todos os Vicentinos e também às palavras introdutórias ditas pelo Superior Geral da CM. No seu discurso, ele mencionou a importância de São Vicente de Paulo para a caridade e incentivou os vicentinos a seguir os ensinamentos do seu patrono, São Vicente gerou um impulso de caridade que dura nos séculos. Por isso, hoje, quero encorajá-los a prosseguir este caminho, nas pegadas do seu Fundador, propondo-lhes três simples verbos, que acho importantes para o espírito Vicentino, mas também para a vida cristã em geral: adorar, acolher, ir”.

Explicando os três verbos, Francisco começou por “Adorar”, mencionando o próprio São Vicente que nos convida a dedicar-se à oração como fator essencial à purificação do coração.

Em “Acolher”, ele falou sobre a questão de que acolhimento não é apenas receber, mas sim ser uma pessoa disponível. E acrescentou que São Vicente “nos ajude a dar o justo valor a este DNA eclesial do acolhimento, da disponibilidade e da comunhão.

Terminando a explicação sobre os verbos, o Papa Francisco explanou sobre o “Ir”. Como vicentinos devemos está sempre a disposição de ir ao encontro do pobre. Devemos está sempre prontos para sair pelo mundo com simplicidade e entusiasmo levando amor e caridade.

O Santo Padre finalizou seu discurso, com um pedido especial a todos os Vicentinos: Queridos irmãos e irmãs, agradeço-os por estarem em movimento pelas estradas do mundo, como São Vicente lhes pediria também hoje. Faço votos de que não parem, mas continuem, através da adoração, a atingir o amor de Deus e a difundi-lo ao mundo, contagiando-o com a caridade, a disponibilidade e a concórdia“.

Com a conclusão do discurso, Francisco concedeu a sua bênção apostólica a todos os Vicentinos e também estendeu aos pobres que forem encontrados na caminhada missionária e evangelizadora. Os peregrinos presentes aplaudiram o Papa Francisco com fervor e alegria.

  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Print or Email

O forte sol na Praça São Pedro não atrapalhou os milhares de Vicentinos que ouviram com atenção as palavras do Sumo Pontífice

Em seguida, o Papa foi ao encontro dos representantes de diferentes ramos da FAMVIN que se estavam presentes na audiência. Entre eles, Yancarlos Carrasco, presidente internacional da JMV, que trocou algumas palavras com Francisco.

Confira o encontro em vídeo clicando aqui.

  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Print or Email

Após todos os cumprimentos, o Papa Francisco abençoou pela última vez os presentes e saiu em seu papamóvel.

  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Print or Email

Para os vicentinos, restou a sensação de felicidade, em saber queacabaram de vivenciar um dia histórico para a Família Vicentina. Como o Papa Francisco falou, é nossa missão dar prosseguimento aos ensinamentos de Vicente de Paulo, que perduram até os dias atuais.

Se você não assistiu a celebração da Família Vicentina na Praça São Pedro, ou quer revê-la, basta assistir abaixo.

Pin It on Pinterest

Share This